Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Dica da Semana #14

por FOS, em 23.01.15

Como proteger os idosos do frio

 

Apesar de Portugal ser um país solarengo e de os portugueses estarem habituados a temperaturas amenas, este ano, o frio chegou depressa demais e sem pedir autorização. Várias cidades do país estiveram em alerta amarelo ou vermelho. As temperaturas muito baixas podem voltar e para que os mais idosos estejam preparados para as enfrentar, apresentamos-lhe um guia de cuidados que atenuam o frio.

 

No tempo mais frio, as constipações e gripes são frequentes. A explicação é mais simples do que parece. "Este tempo é propício ao desenvolvimento e propagação dos germens seus causadores. A sua prevenção deve basear-se em medidas gerais, como evitar o contacto com indivíduos infectados e a presença em espaços fechados com muitas pessoas, bem como, no caso da gripe, a vacinação, que está formalmente indicada nos idosos, devendo ser administrada anualmente", explica Manuel Teixeira Veríssimo, Professor da Faculdade de Medicina de Coimbra (FMC) e Coordenador do Núcleo de Estudos de Geriatria da Faculdade de Medicina de Coimbra.

img1_71a5c0514ab83382d98154e5a5f9d813.jpg

 

Importante também é a vacinação contra a pneumonia que deverá ser feita de 5 em 5 anos. As temperaturas frias estão habitualmente associadas ao agravamento de doenças, especialmente do foro respiratório e cardíaco. "Nas doenças cardíacas, o frio pode agravar os sintomas da angina de peito, aumentar um pouco a tensão arterial e o risco de o idoso ter um acidente cardiovascular.

 

No caso das doenças respiratórias, agrava a asma, o enfisema e a doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC), em geral, e favorece também o aparecimento de pneumonias. A hipotermia é outra das consequências possíveis", acrescenta o especialista. As próprias quedas, ocorrência frequente entre os idosos, principalmente nos menos capazes fisicamente, são mais frequentes no tempo frio.

 

Frieiras para que vos quero?

 

Há que referir ainda as frieiras que têm diversos factores na sua origem, "que vão da predisposição genética até factores hormonais e circulatórios, sendo o frio e a humidade condições que contribuem para o seu aparecimento". A prevenção é a melhor maneira de contrariar o problema, constando esta de alguns cuidados como manter o ambiente aquecido e usar adereços adequados como luvas, calçado quente e gorros de lã.

 

"Uma vez instaladas, as frieiras melhoram com calor moderado e massagem suave, sendo também útil o exercício físico que activa a circulação corporal e, consequentemente, aumenta a temperatura corporal. Na maior parte dos casos, as frieiras curam-se apenas com recurso à prevenção e à protecção das extremidades", acrescenta Manuel Teixeira Veríssimo.

 

Em situações mais graves, "nomeadamente quando há ulceração, o doente deverá recorrer ao médico para fazer outro tipo de tratamento, nomeadamente com substâncias vasodilatadoras. Os cremes com cortisona estão contra-indicados, pois induzem a vasoconstrição secundária e, naturalmente, pioram a situação".

 

Protecção do frio

 

Os idosos podem proteger-se do frio através de medidas muito práticas começando por saírem à rua apenas quando for extremamente necessário e usar roupas quentes e adequadas consoante estejam em casa ou no exterior. "Devem também manter a casa aquecida através da calafetagem das portas e janelas para evitar a saída de calor e a entrada de frio, tendo, contudo, cuidado com meios de aquecimento que produzam monóxido de carbono como lareiras, braseiras ou aquecedores eléctricos; usar botijas de água quente, embora sempre com o cuidado de não fazer queimaduras da pele e beber bebidas quentes, como chá, leite ou sopa. Os seniores devem fazer movimentos com os dedos, os braços e as pernas para estimular a circulação", defende o Prof. da FMC.

 

Para Silvia Oliveira, enfermeira responsável pela qualidade e gestão de risco do Hospital de Braga, o exercício físico, nomeadamente as caminhadas, deve ser levado em consideração pois "promove a socialização, evita o isolamento e aumenta a produção de calor".

 

Que vestuário usar?

 

Os idosos devem usar várias peças de roupa em vez de uma única de tecido grosso, porque assim haverá melhor protecção ao frio. "As roupas deverão ser folgadas, estarem secas e de materiais que não façam transpirar, como o algodão e as fibras naturais." Quando for necessário sair de casa, para além de reforçar o agasalho, como por exemplo, uma capa, um xaile, uma samarra, etc., os idosos deverão levar ainda luvas, gorro ou outro tipo de protecção da cabeça, e, eventualmente, cachecol.

 

"Não devem usar roupas justas porque dificultam a circulação sanguínea", acrescenta a Enfermeira Silvia Oliveira, responsável pelo Departamento de qualidade e gestão de risco no Hospital de Braga. É também importante que o calçado seja quente, confortável e anti-derrapante para evitar quedas.

 

Os perigos que escondem as lareiras e os aquecimentos

 

Quando a temperatura desce significativamente, o que pode voltar a suceder nos próximos dias, é importante que se mantenha quente e seguro. O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) alerta para quais os principais problemas relacionados com o frio e como actuar. As crianças e os idosos são grupos particularmente vulneráveis mas qualquer um pode ser afectado.

Segundo o INEM, "embora permanecer em casa o maior tempo possível ajude a reduzir o risco de acidente de automóvel e quedas, poderá também enfrentar riscos domésticos. "A exposição a baixas temperaturas, no interior e no exterior, podem causar riscos sérios ou letais para a saúde", alerta este organismo.

Deve haver um cuidado extremo na utilização de lareiras em locais fechados, sem renovação de ar, "devendo nesse caso abrir-se um pouco a janela ou a porta para haver circulação de ar, pois de outro modo poderá haver aumento da concentração de monóxido de carbono, que é um gás letal causando, frequentemente, desenlaces fatais em idosos", explica Manuel Teixeira Veríssimo. Os mesmos cuidados devem ser tidos com as braseiras, fogareiros ou aquecedores eléctricos, que do mesmo modo consomem oxigénio e aumentam os níveis de monóxido de carbono.

"Também deve haver cuidado para que não existam produtos de fácil combustão junto destas fontes de aquecimento, como por exemplo cortinados, que possam originar incêndios", conclui. Todos sabemos que os aquecimentos, as braseiras e as lareiras proporcionam uma sensação de conforto e bem-estar mas também são muitos os portugueses que cometem graves erros e que não se preocupam devidamente com a sua adequada utilização colocando em risco a sua segurança!

 

Fonte: http://medicosdeportugal.sapo.pt/utentes/senior/como_proteger_os_idosos_do_frio/1

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temas do Blog:

publicado às 17:25

footer

As publicações desta página são da inteira responsabilidade e autoria da FOS - Essência da Partilha - excepto quando referido o contrário. Não está autorizada a partilha de qualquer conteúdo, sem informação e autorização prévia por parte dos autores do Blog.



Contactos

Encontre abaixo os nossos contactos:

E-MAIL

formacao.ocupacional.seniores@gmail.com

TELEFONE

969 192 186 | 916 676 466 | 249 726 596 Vânia (Coordenadora FOS): 912 993 415

MORADA

Escola Primária do Cardal | Rua Miguel Torga, s/n - Cardal | 2260-517 Vila Nova da Barquinha

RUTIS

A FOS é membro da RUTIS desde 2013. Saiba mais sobre a RUTIS aqui: http://www.rutis.pt/


Deixe-nos uma mensagem

calendário

Janeiro 2015

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Pesquisar

Pesquisar no Blog